#Palavras do Pai

Jogo da memória #77

“Depois de ver como são as coisas na terra, concluí que a melhor maneira de se viver é cuidar de você mesmo, se divertir e tirar o que puder do próprio trabalho no tempo de vida que Deus conceder a você. É isso e ponto final – não tem outro jeito. Sim, devemos aproveitar ao máximo tudo que Deus nos dá, sejam riquezas, seja a capacidade de desfrutá-las; aceitar a própria sorte e desfrutar o trabalho é uma dádiva de Deus! Deus dispensa alegria no presente, hoje. É inútil ficar remoendo o tema da brevidade da vida.” Eclesiastes 5:18-20 (A mensagem)

Se comparada à Eternidade, nossa vida realmente não passa de um sopro.

A rotina diária tem sugado nossas forças e possivelmente levado os nossos sonhos. Vivemos ansiosos e preocupados com o porvir, sem nos dar conta de que o hoje responde muitas orações e pedidos do ontem. Queremos mais, ansiamos pelo novo, mas preocupados com o amanhã, não conseguimos desfrutar da preciosidade do tempo presente.

Um dia Deus e nós sonhamos. Tendemos a planejar nosso futuro e a ansiedade nos rouba o valor do tempo. Imaginamos demais e aproveitamos de menos. Quando Nossos sonhos se encontram, ao invés de comemorarmos a realização, já estamos com sonhos novos!

Provavelmente você teve sua vida experiências ruins acerca de confiança. Talvez você tenha confiados nos seus pais e tenha sido abandonado. Talvez você tenha confiado nos seus amigos e eles tenham te traído. São tantos exemplos! E a nossa tendência diante de experiências traumáticas é lançar nossas decepções pra Deus, e pior ainda, acreditar que se os homens fizeram isso conosco diante de uma possível permissão de Deus, Ele também não merece a nossa confiança.

Deus não é homem. Erramos quando colocamos nossos traumas diante de Deus não para que sejamos curados, mas como um alerta: mostrar a Ele que estamos desconfiados de que Ele fará o mesmo. Erramos desconfiando de Deus porque colocamos num ser divino características inerentes ao homem.

Lembro-me do jogo da memória: é como se Deus nos mostrasse o que Ele tem pra nós e por nossa ansiedade, queremos apressar o jogo. Deus mostra uma peça e nós reviramos todas as outras até encontrarmos a que Ele nos mostrou primeiro.

Não precisamos fazer isso. Confiemos na Sua soberania que orquestra o tempo perfeito para cada realização dEle sobre nossas vidas. Lembre-se: Ele é Deus.

(Isadora Bersot)

PTG_logo2

Um comentário em “Jogo da memória #77”

  1. Muito bom! Creio que há um tempo certo para todas as coisas, é quando temos que esperar que descobrimos se realmente confiamos em Deus ou não. Para cada dia basta o seu mal; muitas vezes ansiamos tanto pelo o amanhã, que perdemos os pequenos detalhes (que faz muita diferença) que Deus prepara para cada momento do nosso dia. O fato de sempre “atropelarmos” todos os nossos sonhos, faz com que nenhum deles se cumpra. Que a cada dia possamos confiar mais em Deus, entregando à Ele toda a nossa ansiedade, sendo gratos por todos os momentos extraordinários que Deus nos proporciona no “hoje”. 😁 Deus te abençoe!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s