#Palavras do Pai

O Natal fala… #188

O orgulho – este mesmo que contaminou o coração de um anjo de luz chamado Lúcifer – impede muita gente de entender que Jesus foi refugiado (imagina só: um Deus fugitivo? Pobre? Injustiçado?). A verdade do Deus cristão confronta a realidade que nosso pecado constrói. Logo após o nascimento do Salvador, toda a sua família fugiu pro Egito temendo o infanticídio preparado por Herodes. O Natal fala do êxodo forçado e de refúgio.

O impossível pro homem é possível pra Deus (Lucas 18:27). Dentre tantos impossíveis, houve até mesmo uma virgem tendo filho. Sabe-se também que Ele é poderoso para fazer a estéril ser mãe (Salmos 113:9). O natal fala sobre coragem (imagina ser mãe fora do casamento? Quem ia acreditar? Se já é difícil em pleno séx. XXI, quem dirá naquela sociedade. A palavra da mulher ainda não é muito digna de crédito).

O nascimento e a vida do Cristo foram tanto o cumprimento da lei de Moisés, quanto o cumprimento das profecias a Seu respeito encontradas no Antigo Testamento. Ele nasceu numa estrebaria porque não tinha lugar pra ele (a forma como nasceu, foi a forma como viveu – Mateus 8:20). O Natal fala sobre a falta de pertencimento.

O natal fala sobre fuga, abandono, rejeição, sacrifício, pobreza. E isso não se encaixa na cabeça de humanos orgulhosos, que veem Deus como Rei, mas não o aceitam como um refugiado, pobre e injustiçado.

A humildade que queremos negar no Divino é a mesma que Ele nos pede para “recebermos a terra” (Mateus 5:5). Não há nada que Ele peça de nós que Ele mesmo já não tenha feito antes. Se falarmos sobre injustiça, Ele tem o que testificar. Sofrimento? Foi aperfeiçoado por Ele. Humilhação? Exílio? Traição? SIM. Não podemos deixar que os desejos do nosso coração nos façam negar aquilo que aprendemos com Seu exemplo.

Somos programados pra pensar que o divino é distante e até irreal. Jesus vem pra nos salvar, ensinar sobre humildade, amor, sofrimento e propósito. Sobretudo, o Natal fala de esperança: há um Deus que cumpre promessas. Ele virá!


(Isadora Bersot)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s