#Palavras do Pai

A traição começa antes do beijo #199

O plano pra matar Jesus é bastante conhecido. Um de seus discípulos, movido por profunda ganância, arma um plano para entregar o Mestre. Em Mateus 26, é relatado que Judas foi até os principais sacerdotes para fazer uma proposta. A iniciativa partiu de Judas. E, antes que pudesse ser aceita, já revela o coração traidor que ele demonstraria dali pra frente.

Então um dos doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes,
E disse: Que me quereis dar, e eu vo-lo entregarei? E eles lhe pesaram trinta moedas de prata,
E desde então buscava oportunidade para o entregar.

Mateus 26:14-16

Desde o momento do pacto acordado entre ele e os principais sacerdotes, Judas buscava a oportunidade perfeita para finalizar a “venda” de seu Senhor. Vale lembrar que ninguém arma um plano do dia pra noite. O coração de Judas já estava fervorosamente contaminado com a ideia de enriquecer entregando Jesus. Ele planejou e orquestrou uma proposta e um plano bem antes de obter sucesso.

O que mais me chama a atenção no trecho acima é a expressão adverbial “desde então“, utilizada no versículo 16 (é a mesma utilizada no original grego). A partir do momento em que o acordo foi fechado, Judas buscou incessantemente uma oportunidade de entregar Jesus. Imagine um homem ansioso para receber 30 moedas de prata.

Seguindo a leitura, lemos que a Páscoa foi comemorada com Jesus e os discípulos (antes do Calvário), e temos:

E, respondendo Judas, o que o traía, disse: Porventura sou eu, Rabi? Ele disse: Tu o disseste.

Mateus 26:25

Note: Judas ainda não havia beijado o Mestre. Jesus ainda não havia sido preso ou condenado. Na Páscoa, uma celebração fechada apenas com os discípulos, Judas “se entrega” ao perguntar se era ele quem faria isso. E a oração que retoma Judas é “o que o traía”. Importante ressaltar que o tempo escolhido se refere a uma ação contínua! Judas não trairia Jesus, porque ele já o estava traindo desde que a maldade subiu ao seu coração. A traição começou muito antes do beijo.

Ao ver Judas chegando, Jesus diz:

Levantai-vos, partamos; eis que é chegado o que me trai.

Mateus 26:46

Reparem, mais uma vez, na oração que retoma Judas: “o que me trai”, e não “o que vai me trair”. Fatalmente, Judas traiu Jesus antes de tê-Lo beijado. O beijo foi apenas a exposição pública de um mal na alma que já havia sido gerado e que, posteriormente, daria seus frutos de morte – não do Cristo (pois fazia parte do plano divino), mas do próprio Judas, que, além de traidor, foi um suicida.

Por isso a Bíblia alerta:

Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.

Mateus 5:27,28

Precisamos guardar nosso coração e as expectativas da nossa alma. Assim como dissemos nesse post: o que nos contamina não é o que entra, mas o que sai de nós. O pecado já habita em nós. Não podemos permitir também que ele nos domine.

(Isadora Bersot)

Ps: se você quer acompanhar todos os novos posts, deixe seu e-mail aqui embaixo :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s