#Palavras do Pai

Não tenho fé suficiente para ser ateu #277

Hoje, pensei naquela frase que dá título a um livro que ainda não li: “Não tenho fé suficiente para ser ateu” – eu também não.

Não consigo não ver a mão de Deus em tudo. Não consigo conceber a ideia de que meu corpo, com cada um de seus órgãos e células (o que dizer do cérebro?!), surgiu aleatoriamente.

Não consigo vislumbrar a formação de um outro ser humano no ventre de uma mulher como algo menos que extraordinário.

As coisas têm cheiro. Sabor. Cor. E nós temos narizes. Papilas gustativas. Olhos. Podemos sentir e ver. Somos capazes de desfrutar do que não fizemos, do que não trabalhamos para conquistar. Não é incrível?!

É graça, pura graça! Um presente escandaloso do Criador, que em e através de tudo diz: “EU estou aqui.” 

E pensar que aquEle que nos transformou em seres viventes se submeteu a viver neste corpo incrivelmente maravilhoso, mas ainda débil e perecível, e enfrentou a morte para, enfim, vencê-la para sempre… é de arrepiar!

Eu já me rendi.

Falo de rendição porque é o que precisamos fazer. Pode ser duro pra muitos se render diante do desconhecido (que teima e insiste em Se fazer conhecido). Do inimaginável. Do infinito. Do que, para alguns, é improvável. Surge uma guerra, para a qual o conselho do Eterno é o mesmo dado a Paulo: duro é resistir (“Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.” Atos 9:5).

A gente quer ser o centro. Saber tudo. Dominar tudo. Mas a realidade é cruel: quanto mais sabemos, e descobrimos, e avaliamos, mais percebemos que estamos distantes de dissecar a integralidade da vida. As origens do universo. Os mistérios da existência. A Eternidade que Ele plantou no coração do homem (Eclesiastes 3:11) é um sinal de que há algo que não podemos compreender plenamente.

Há um Deus. Nem céus e terra podem contê-Lo (2 Crônicas 6:18). Confio no que dizem as Sagradas Escrituras, naquilo que foi revelado ao apóstolo João em Apocalipse 1.7:

“Eis que ele vem com as nuvens,
e todo olho o verá,
até mesmo aqueles que o traspassaram;
e todos os povos da terras e
lamentarão por causa dele.
Assim será! Amém.”

Ele veio. Morreu. Ressuscitou. Vai voltar. Você vai ver. 

(Isadora Bersot)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s