#Palavras do Pai

Aprendendo a ser contente #286

Na última semana, compartilhei esta reflexão oralmente com um grupo de amigas, então decidi trazê-la para cá também :) Abaixo, já faço a indicação de uma canção incrível do Marco Telles, Coletivo Candiero e João Manô (especialmente por causa da segunda parte dela. Ouça!)

[…] pois aprendi a ficar satisfeito com o que tenho. Sei viver na necessidade e também na fartura. Aprendi o segredo de viver em qualquer situação, de estômago cheio ou vazio, com pouco ou muito. Posso todas as coisas por meio de Cristo, que me dá forças.
Filipenses 4:11-13

Nos versículos destacados acima, extraídos da “Carta da alegria” de Paulo, podemos perceber que ele nos apresenta um processo: Aprendi > Sei. O apóstolo sabia estar contente porque havia passado por um aprendizado.

Hoje, talvez você ainda não esteja contente com toda e qualquer situação. Se esse for o seu caso, vale a pena manter a esperança: é possível aprender! Portanto, não abandone o seu processo diante da inconstância que persiste, da tristeza que permanece, da procrastinação que paralisa. Analise o seu coração e mantenha-o ensinável. Você é capaz de aprender!

Quando vemos Paulo ou qualquer outra pessoa sendo ou fazendo algo que gostaríamos de ser ou fazer, tendemos a nos iludir achando que ela nasceu pronta, mas isso não é verdade. Nem ele nem nós nascemos sabendo. Naturalizamos coisas em nossa própria jornada que não são naturais, mas que foram aprendidas. Há palavras nesta página, e você é capaz de lê-las (você não nasceu sabendo)! Você conhece artistas incríveis que cantam, atuam, escrevem, fazem artes digitais admiráveis etc. (eles também não nasceram sabendo). Possivelmente, hoje você faz uma centena de coisas que aprendeu de tal forma que tem a falsa impressão de que sempre soube fazê-las (lavar louça; varrer uma casa; ler um livro; puxar a cordinha do ônibus para dar sinal; acessar um blog; usar um celular; subir escadas; cozinhar… A lista é interminável!). Não se esqueça, portanto, de que nem sempre isso foi fácil ou indolor para você. Você aprendeu!

O apóstolo Paulo terminou a sua carreira, por exemplo, sem amigos por perto, mas tendo a certeza de que podia tudo por meio de Cristo, inclusive viver contente. Isso não quer dizer que ele esteve sempre alegre (seria uma contradição se ele dissesse isso, visto que ele próprio testemunhou de seu abatimento, perseguição e perplexidade em 2 Co 4:8-9),mas sim que nenhuma tribulação, por mais severa que tenha sido, foi capaz de torná-lo insatisfeito.

Às vezes, interpretamos a palavra “contente” de outras traduções dos versículos citados como um sinônimo de “alegre”, por isso escolhi a versão NVT aqui, para que possamos entender que o contentamento foi um fruto alcançado por Paulo através do poder do Evangelho que operava em sua vida. Considerando que ele foi capaz de aprender a viver contente, lanço aqui um desafio. Que tal reeducar seu olhar para encontrar contentamento especialmente nas coisas simples da vida? Por fim, agradeça a Deus por aquilo que você não sabe ainda, mas que, pela fé, um dia saberá.

(Isadora Bersot)

2 comentários em “Aprendendo a ser contente #286”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s